A União Europeia imporá unilateralmente novas sanções ao Irã por causa do controverso programa nuclear do país. A medida deve ocorrer caso não haja consenso sobre o tema nas Nações Unidas, afirmou o ministro das Relações Exteriores da Finlândia, Alexander Stubb, neste sábado.

“Eu acho que seremos capazes de convencer China e Rússia e estou confiante de que conseguiremos algo no Conselho de Segurança da ONU”, afirmou Stubb. “Caso isso fracasse, significará sanções unilaterais da UE, nós faríamos isso unilateralmente no âmbito da União Europeia”, afirmou. “Há consenso suficiente.”

Governos ocidentais, especialmente Estados Unidos e França, buscam mais sanções a Teerã no conselho de segurança da ONU – o país já foi alvo de três rodadas anteriores – por causa do programa nuclear do país. Teme-se que o Irã busque secretamente produzir armas atômicas. Teerã garante, porém, ter apenas fins pacíficos.

Dos cinco membros permanentes do conselho, com poder de veto, apenas a China se opõe a novas sanções. A Rússia tem postura cautelosa, mas nas últimas semanas aparentemente passou a apoiá-las. EUA, França e Grã-Bretanha defendem a punição. As informações são da Dow Jones.