A chefe da diplomacia da União Europeia, Catherine Ashton, disse hoje que a comunidade internacional ainda espera um acordo de paz e a criação de um Estado Palestino até setembro, mesmo com os distúrbios políticos na região.

Apesar do impasse no qual se encontram as negociações de paz entre Israel e os palestinos, e da renúncia do gabinete palestino, bem como do negociador-chefe Saeb Erekat, Ashton disse que o objetivo ainda pode ser alcançado. “Eu acho que temos de tentar chegar a este objetivo”, disse ela, admitindo que será “desafiante”.

Ashton faz uma visita de um dia com o objetivo de estimular os dois lados a retomar as negociações, que chegaram a um impasse no final de setembro e que aparentemente não serão retomadas em breve. O prazo para um acordo de paz foi estabelecido inicialmente pelo presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, quando ele lançou as conversações diretas entre palestinos e israelenses em 2 de setembro. Mas o processo foi suspenso três semanas mais tarde.

O Quarteto para o Oriente Médio, formado pela União Europeia, Estados Unidos, Rússia e Nações Unidas, reiterou no início do mês seu apoio para que as “negociações sejam concluídas até setembro de 2011”.

Ashton reuniu-se com o chanceler israelense Avigdor Lieberman antes de se dirigir para Ramallah, onde se encontrou, na tarde de hoje, com o ministro de Relações Exteriores palestino, Riyad al-Malki.

A rádio pública israelense informou que Lieberman disse que a comunidade internacional deve encontrar uma forma de impedir as ambições nucleares iranianas antes de pedir a Israel que faça concessões aos palestinos. Depois das negociações em Ramallah, Ashton retorna a Jerusalém para uma reunião com o primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu. As informações são da Dow Jones.