Subiu para 12 o total de mortes quando uma manifestação contra a queima de um exemplar do Alcorão se tornou violenta na cidade de Mazar-i-Sharif, norte do Afeganistão, após relatos de que um pastor da Flórida havia queimado uma cópia do livro sagrado muçulmano. Foram mortos oito estrangeiros e quatro manifestantes afegãos.

Segundo funcionários afegãos, cerca de 2 mil pessoas se reuniam pacificamente do lado de fora de um escritório da Organização das Nações Unidas (ONU), mas alguns manifestantes pegaram armas dos guardas do local e abriram fogo contra a polícia e invadiram o prédio, ateando fogo ao complexo. Fumaça negra era vista saindo do edifício.

O general Daud Daud, comandante da Polícia Nacional Afegã no norte do país, disse que cinco guardas nepaleses estão entre os mortos. O porta-voz do Ministério do Interior, Zemeri Bashary, afirmou que quatro manifestantes também foram mortos. As informações são da Associated Press.