Grupos de oposição queimaram bonecos com a cara do presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, e alguns de seus aliados em várias áreas de Caracas e outras cidades do país para simbolizar a “queima de Judas”, uma tradição dos venezuelanos durante os domingos de Páscoa para expressar suas queixas e descontentamento contra figuras e funcionários públicos.

Gritando “Fora, Maduro!”, Um grupo de manifestantes montou nesta tarde uma fogueira no meio de uma rua de La Candelaria, um bairro perto do palácio do governo, para queimar um grande boneco com o rosto de Maduro. Na Venezuela e em outros países de maioria católica, a “queima de Judas Iscariotes”, que entregou Jesus Cristo a seus inimigos, é tradição.

“Só Maduro trai e ataca as pessoas”, disse Carmen Ramírez, uma dona de casa de 52 anos, durante o protesto. “Há muitos policiais para atirar gás lacrimogêneo em quem pede respeito à Constituição; mas não há nenhum para pegar os criminosos que têm atormentado Caracas”.

No oeste da capital venezuelana, os defensores da Maduro, liderados pelo líder pró-governo Freddy Bernal, queimaram bonecos representando vários governantes locais e estrangeiros, incluindo o Secretário-Geral da Organização dos Estados Americanos (OEA), Luis Almagro, que tem sustentado que “a Venezuela vive um regime autoritário”, e acusa o governo de exagerar na repressão de protestos. Fonte: Associated Press.