Milhares de pessoas vestidas de branco tomaram as ruas da capital da Venezuela neste sábado no que foi o maior protesto contra o governo desde as manifestações do ano passado, que terminaram em forte repressão e com a morte de dezenas de pessoas.

A manifestação foi convocada há menos de uma semana pelo líder da oposição, Leopoldo Lopez, que está preso. Em um vídeo gravado em sua cela, Lopez incitou os manifestantes a demandarem uma data para as eleições do Legislativo neste ano e exigirem a libertação de todos os opositores que grupos de Direitos Humanos consideram como prisioneiros políticos. Lopez está preso há 15 meses por sua liderança nos protestos do ano passado.

Em Caracas, um mar de manifestantes bloqueou a principal avenida da privilegiada zona leste da capital, interrompendo o fluxo de veículos por horas. Os integrantes do protesto se queixavam sobretudo da escassez de certos produtos no país, a inflação elevada e os índices de criminalidade. Tratam-se dos mesmos problemas que levaram aos protestos do ano passado – só que de lá para cá eles se agravaram.

A coalizão de oposição não apoiou a marcha deste sábado, sublinhando as fissuras dentre os críticos do governo socialista, há 16 anos no poder. Henrique Capriles, que quase venceu o presidente Nicolas Maduro nas eleições de 2013, liderou uma passeata em San Juan de Los Morros, cidade em que o ex-prefeito Daniel Ceballos está preso. Ele foi transferido na última semana, para a prisão que é considerada uma das mais violentas do país. Fonte: Associated Press.