O governo da Venezuela enfrenta crescentes críticas de ativistas e da Organização das Nações Unidas (ONU) sobre as más condições de suas prisões superlotadas e violentas, após um confronto na última sexta-feira entre detentos e tropas militares resultar em pelo menos 58 mortos.

Rupert Colville, porta-voz do Alto Comissariado da ONU para Direitos Humanos, expressou preocupação sobre “um padrão alarmante de violência nas prisões venezuelanas, que é uma consequência direta das más condições.”

Segundo o governo, a violência na prisão de Uribana, na cidade de Barquisimeto, ocorreu quando presos armados entraram em confronto com soldados da Guarda Nacional que estavam tentando realizar uma inspeção. Quase todos os mortos eram prisioneiros.

“Pedimos investigações rápidas e eficazes para este incidente”, disse Colville, em uma coletiva de imprensa em Genebra. “Solicitamos também ao governo da Venezuela para adotar medidas urgentes para garantir que as condições de detenção cumpram com as normas internacionais de direitos humanos.” As informações são da Associated Press.