A violência se intensificou no Paquistão desde que o líder da Al-Qaeda, Osama bin Laden, foi morto por forças especiais norte-americanas, informou hoje o Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV). Além disso, cresceram as suspeitas em torno de estrangeiros no país.

“A situação no Paquistão, desde a morte de Osama bin Laden, é de intensificação nos conflitos e da violência”, afirmou Pascal Cuttat, chefe da delegação do CICV no país, que está prestes da deixar o posto. Segundo ele, a violência em grandes cidades como Peshawar e Karachi aumentou bastante. “No futuro imediato, nós esperamos mais do que vemos agora”, acrescentou.

A morte de Bin Laden também gerou suspeitas contra estrangeiros, que agora sofrem mais para trabalhar. “Isso tornou o trabalho consideravelmente mais difícil”, disse o líder da Cruz Vermelha, apontando o aumento da burocracia para se obter vistos de trabalho. “Há, por todo o Paquistão, uma suspeita consideravelmente maior, com relação a qualquer estrangeiro trabalhando no país”, acrescentou ele.

Bin Laden foi morto em maio, em uma ação norte-americana na cidade de Abbottabad. Parlamentares paquistaneses criticaram a ação unilateral dos EUA e exigiram que esse tipo de operação não se repita. As informações são da Dow Jones.