O primeiro-ministro do Zimbábue, Morgan Tsvangirai, pediu hoje uma força regional de paz e da União Africana para assegurar que as eleições gerais no país serão pacíficas. “Vamos trazer observadores estrangeiros para as (próximas) eleições”, disse Tsvangirai a partidários durante uma reunião em Chitungwiza, 30 quilômetros ao sul da capital.

“Nós queremos uma força de paz para que possamos ter um ambiente livre e justo e assim manter nosso povo livre para que vote”, disse ele. “Podemos usar forças da UA (União Africana) e da Comunidade para o Desenvolvimento da África Austral para manter a ordem durante o período eleitoral. “

Tsvangirai e seu antigo rival, o presidente Robert Mugabe, chegaram a um acordo de compartilhamento de poder em 2008, conhecido como Acordo de Política Global. Segundo os termos do acordo, o país deve realizar um novo pleito após 24 meses.

“Ainda temos alguns meses para concluir o acordo e não queremos eleições violentas, queremos eleições livres e justas.” Tsvangirai expressou sua preocupação sobre relatos de persistente violência em várias partes do país e designou dois ministros de assuntos internos para investigar o caso.

Ele acrescentou que seu partido quer que as conversações intrapartidárias sejam concluídas. “Estamos cansados de conversações intermináveis. Devemos tomar medidas para que não sejam realizados mais diálogos apenas por causa do diálogo. Somos um país em transição, então devemos estar prontos para as eleições.”

Na semana passada, Mugabe disse aos jornalistas que ele será o candidato do seu partido nas eleições, cuja data ainda não foi marcada. Em 2008, Tsvangirai venceu Mugabe no primeiro turno das eleições presidenciais. Posteriormente, ele se retirou no segundo turno por causa da violência do Estado contra seus partidários.