O ministro da Agricultura, Roberto Rodrigues, avaliou que a perspectiva é de estabilidade no abastecimento de álcool no mercado interno no curto prazo. "Com a safra começando já amanhã em Maringá, no Paraná, e a safra de cana-de-açúcar sendo processada em março e abril, a oferta está absolutamente tranqüila e não há razão para esse aumento de preço ou para especulação", afirmou Rodrigues.

Na semana passada, os preços do álcool subiram 7% nas usinas de São Paulo para R$ 1,15 por litro, informou o Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada da Universidade de São Paulo (Cepea-USP). Desde o final do ano passado, o reajuste para os distribuidores chega a 14,5%. Rodrigues estará amanhã no noroeste do Paraná para dar início ao esmagamento da safra 2006/07 de cana-de-açúcar. Em janeiro, o governo fechou um acordo com os usineiros fixando o teto de R$ 1,05 por litro para venda de álcool nas usinas, antes dos impostos, mas os preços superaram o valor combinado.