O transporte de crianças por estradas é feito ainda de forma arriscada em razão da negligência dos adultos que as acompanham. A constatação é da concessionária Viapar. Recentemente a empresa realizou pesquisa por amostragem nas rodovias sob sua responsabilidade, nas regiões Norte, Noroeste e Oeste do Paraná, para avaliar a situação.

De acordo com o trabalho, no último mês de julho ? período da pesquisa ? observou-se que 14% das crianças viajavam no banco dianteiro, o que é proibido pelo Código de Trânsito Brasileiro. Pior: 48% das que estavam no banco da frente sequer utilizavam o cinto de segurança ? outra infração grave – e 50% seguiam no colo de adultos (o que também não é permitido). Os 2% restantes estavam em cadeirinhas apropriadas para acomodar crianças em viagens, só que isto só pode ser feito no banco traseiro.

Das crianças que eram transportadas no banco de trás, 62% seguiam soltas, 24% no colo de adultos e apenas 14% em cadeirinhas, o que é o ideal para garantir-lhes maior segurança.

A pesquisa verificou também que o cinto de segurança não era utilizado por 21% dos motoristas e por 27% dos passageiros que viajam no banco da frente. Entre as pessoas que estavam no banco traseiro, 76% desprezavam o uso do cinto.