O ex-ministro da Secretaria Especial dos Direitos Humanos, Nilmário Miranda, criticou a perda do status de ministério, porque, segundo ele, isso dava poder de negociação com as autoridades brasileiras. A mudança aconteceu na última reforma ministerial. A pasta passou a ser uma subsecretaria da Secretaria-Geral da Presidência da República.

"O status ministerial dava a secretaria mais força para negociar com governadores, chefes de Estado, para enfrentar as violações provocadas pelo estado e repercutia bem pelo mundo agora, mas como foi a decisão do presidente a gente aceita", disse. "Agora que não sou mais membro do governo posso falar, pois tenho essa liberdade."

Nesta quarta-feira, tomou posse o subsecretário de Direitos Humanos, Mário Mamede, no Salão Negro do Ministério da Justiça. O ex-secretário Nilmário Miranda deixou a pasta recebendo várias homenagens de representantes dos conselhos dos direitos humanos. Participaram do evento o ministro da Justiça, Márcio Thomaz Bastos e o secretário-geral da Presidência, Luiz Dulci.