Quem esteve ontem no Guarujá, litoral de São Paulo, e foi até o Forte dos Andradas na esperança de ver de perto o presidente Luiz Inácio Lula da Silva terminou o domingo frustrado. Ninguém o viu, nem de perto, nem de longe. Os que tentaram se aproximar pelo mar foram barrados a mais de três quilômetros. O Forte dos Andradas é uma unidade militar do Exército.

O presidente e a primeira-dama, Marisa Letícia, chegaram na noite da sexta-feira para um descanso de dez dias. O único que teve acesso foi o irmão mais novo do presidente, Germano Inácio da Silva, que não o via desde setembro, e que entrou com o filho Nathan, de 10 anos.

Uma hora depois, Germano saiu sem notícias, frustrando o grupo de turistas e curiosos que se juntou à sua volta. Disse que o irmão-presidente tinha saído para pescar em alto mar e que os oficiais prometeram buscá-lo em casa, assim que ele retornasse. Silva mora em Vicente de Carvalho, um distrito pobre do Guarujá, chegou de ônibus e voltaria da mesma forma não fosse uma carona da equipe de um jornal da região.

Segundo ele, os outros irmãos também devem aproveitar as férias do presidente para visitá-lo. Até mesmo Jackson, que mora em Mongaguá e, às vésperas do segundo turno das eleições, declarou que votaria em Geraldo Alckmin. ?Acho que ele já se arrependeu da bobagem que disse?, comentou Germano.

Na falta do presidente, o próprio irmão recebeu os apertos de mão. Ganhou de Sofia, uma menina de 5 anos, moradora de Jaú, o livro Você Não Está Aqui Por Acaso.

O engenheiro cearense Fábio Campos Morais, acompanhado da noiva, Gerlaine, foi ao forte só para entregar ao presidente um livro do qual ele é o autor.

Tanto insistiu, que a assessoria prometeu encaminhá-lo. ?À Vossa Excelência, que tem os desafios como fonte de energia, um grande abraço?, dizia a dedicatória. Ele disse que parafraseou o slogan da Petrobras, da qual é funcionário. Aos que o cercavam, explicou que o livro é uma compilação de textos científicos e filosóficos, ?dicas para viver bem?. Ao longo do dia, apenas militares e membros da comitiva tiveram acesso ao forte, que abriga a Primeira Brigada de Artilharia Antiaérea do Comando Sudeste do Exército.