O caos dos aeroportos provocou uma seqüência de críticas e ataques ao governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. No Senado, o tom dos discursos dos oposicionistas foi duro contra o ministro da Defesa, Waldir Pires, a quem pediram para que saísse do governo. O senador Antonio Carlos Magalhães (PFL-BA) apresentou requerimento para criação de uma comissão do Senado e propôs que não se votasse mais nenhum projeto até que a proposta fosse aprovada. "O ministro da Defesa é incompetente e a Aeronáutica acovardou-se", criticou.

O presidente nacional do PSDB, senador Tasso Jereissati (CE), ocupou a tribuna do Senado também para cobrar providências do governo, depois de ter enfrentando os problemas no aeroporto, na terça, ao tentar se deslocar para Brasília. "Só um país anestesiado e completamente letárgico pode aceitar o caos que estamos vivendo", afirmou Jereissati. "O que aconteceu ontem não aconteceria num país civilizado. Não acontece nem no país mais subdesenvolvido do mundo. Em qualquer país civilizado, o ministro da Defesa já teria sido demitido. O presidente da Anac já teria sido demitido. O presidente da Infraero já teria sido demitido. O presidente Lula precisa assumir sua responsabilidade e respeitar os 50 milhões de votos que recebeu", cobrou.

Jereissati lembrou que é amigo pessoal de Waldir Pires, mas reconheceu que ele não tem mais condições de comandar a pasta da Defesa. "Ele é meu amigo, mas não entende nada disso. As entrevistas dele são patéticas. Ele fica olhando para o lado, diz que não sabe de nada", disse. O protesto contra os problemas nos aeroportos inclui até o senador petista Delcídio Amaral (MS) que também ocupou a tribuna para cobrar providências do governo e lembrar que os passageiros estão sendo colocados em risco e já há prejuízos econômicos provocados pela crise do setor.