Rio de Janeiro – A menos de três meses do início dos Jogos Pan-americanos, a preocupação com a dengue aumenta no Rio de Janeiro. Desde o início do ano até última sexta-feira (13), cerca de 5,6 mil casos da doença foram registrados na capital fluminense, sede da competição.

Desde nesta segunda-feira (16), 365 novos agentes estão sendo treinados pela prefeitura do Rio para intensificar o trabalho no controle da dengue e diminuir os riscos de uma epidemia durante os jogos. Depois do treinamento teórico e prático, que vai durar 15 dias, eles vão se juntar aos cerca de 2,3 mil agentes que já estão atuando no combate à dengue na capital carioca.

Segundo o coordenador do Controle de Vetores, da Secretaria Municipal de Saúde, Mauro Blanco, vários esforços vêm sendo feitos para intensificar a prevenção e o controle da doença.

?A prefeitura não trabalha com a perspectiva de epidemia, trabalha com a perspectiva de prevenção. Além da contratação desses profissionais,  treinados a partir de hoje, estamos locando viaturas para fazer o transporte do pessoal pelas regiões da cidade, dando uma caráter mais efetivo ao trabalho?.

Os novos agentes estarão nas ruas até o final deste mês, prestando esclarecimentos à população sobre o combate ao mosquito Aedes Aegypti, transmissor da dengue, e fazendo a aplicação de larvicidas (que matam as larvas do mosquito).

De acordo com a secretaria executiva do governo federal para o Pan-americano, outros 1050 profissionais do governo do estado vão se unir ao grupo ainda em abril para compor a força-tarefa montada para reduzir o risco de dengue durante o campeonato.

Blanco destacou que, embora o número de casos tenda a diminuir no inverno, a necessidade  de combate à doença é permanente. Em julho de 2006 – mesmo mês em que este ano será realizado o Pan – foram registrados 164 casos de dengue no Rio.