O número de católicos no mundo passou de 1,098 bilhão para 1,115 bilhão, de 2004 para 2005. Isso significa um aumento de 1,5%, acima do crescimento da população mundial, que foi de 1,2% nesse período. A África foi o continente onde a Igreja Católica mais cresceu – 3,1%, enquanto a população aumentou pouco menos de 2 5%. Também a Ásia e a América tiveram um aumento de católicos superior ao da população – 2,71% ante 1,18% na Ásia e 1,2% ante 0,9% na América.

Os dados constam do Anuário Pontifício 2007, cuja edição foi apresentada ontem ao papa Bento XVI no Vaticano. As estatísticas sobre o número de católicos referentes ao biênio 2004-2005 foram coletadas em 2.915 circunscrições eclesiásticas (dioceses e similares) de todo o mundo, com base no registro de batismos. Por esse critério, o levamento não consegue medir a porcentagem de católicos que, depois de terem sido batizados, continuam fiéis à Igreja.

Mais Padres

O número de padres subiu de 405.891 para 406.411, um aumento relativo de 0,13%. Analisando-se o crescimento de ordenações sacerdotais por continente, constata-se que o aumento foi de 3 80% na Ásia e de 3,55% na África. No ano passado, foram criadas 12 novas dioceses, 9 sedes metropolitanas (arquidioceses) e uma administração apostólica. Também foram nomeados 180 novos bispos no total.

Quanto ao número de estudantes de filosofia e de teologia, as estatísticas registram taxa de aumento de 1,23% (os seminaristas passaram de 113.044 em 2004 para 114.439 no ano seguinte). De cada 100 candidatos ao sacerdócio, 32 eram americanos, 26 asiáticos, 21 africanos, 20 europeus e 1 da Oceania.

No Brasil, que em números absolutos ainda é o maior país católico do mundo, o número de fiéis vem diminuindo proporcionalmente nos últimos anos. Os católicos, que representavam 83% da população em 1991, caíram para 73,57% no ano de 2000, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).