O presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Cezar Britto, defendeu nesta terça-feira (13) o aumento do tempo de internação de menores delinqüentes. A entidade vai promover amanhã uma reunião com dirigentes religiosos e de associações de juízes e procuradores para discutir propostas que tornem mais rigoroso o tratamento dispensado a criminosos como os suspeitos de envolvimento na morte do menino João Hélio Fernandes.

"É possível discutir propostas alternativas que não a redução da idade penal. Citei como exemplo o aumento do tempo de internação de menores infratores de 3 para 5 anos", disse Britto. "Simultaneamente teria a função punitiva com a de ressocialização, mas não colocando o menor no sistema penitenciário. Durante a internação, tem de dar oportunidade de ressocialização.

Além do aumento do tempo de internação de menores, a OAB defende a adoção de um tratamento mais rigoroso para os condenados por crimes hediondos. A organização já tinha assumido posição contrária à redução da maioridade penal.