No último balanço realizado pelo Departamento de Estradas de Rodagem, o órgão constatou que as obras das concessionárias que administram os 2.500 km de rodovias pedagiadas no Paraná estão dentro do cronograma imposto pelo Departamento. A fiscalização realizada pelo Governo do Estado aponta que, com apenas duas exceções por problemas jurídicos e de desapropriação, as obras estão transcorrendo normalmente nas estradas sob concessão da iniciativa privada.

No lote 1, com 305 km administrados pela Econorte, as obras estão perfeitamente dentro do cronograma. Assim como nos 175 km do lote 6 da concessionária Ecovia e nos outros 568 km da Rodonorte.

No lote 4, que corresponde aos 406 km da Caminhos do Paraná, as obras continuam normalmente e, devido ao pré-contrato assinado que garantiu a redução das tarifas, o contrato de concessão está sendo objeto de estudos entre técnicos do DER e da empresa.

Nos 545 km administrados pela Viapar existe uma pendência em 700 metros dos 12 km de duplicação entre Maringá e Mandaguaçu, no Noroeste do Estado. As obras ainda não foram finalizadas nesse trecho por causa de uma discussão sobre a desapropriação do terreno que está em trâmite no Departamento Nacional de Infra-estrutura de Transportes (DNIT).

Já a Rodovia das Cataratas, que possui 459 km sob sua responsabilidade, conseguiu uma liminar judicial garantindo a não obrigação da execução da duplicação de 1,5 km dentro do perímetro urbano de Medianeira. E, assim como a Caminhos do Paraná, após assinatura do pré-contrato que reduziu as tarifas da concessionária, o Estado junto com a Empresa, iniciou a discussão sobre a reformulação do contrato.