A Prefeitura está realizando obras para acabar com os riscos de alagamentos em dois pontos da Regional do Boqueirão. Uma delas é no cruzamento das ruas Francisco Derosso e Izaac Ferreira da Cruz, onde há uma rótula, no bairro Alto Boqueirão. A outra, não muito longe da primeira, é na rua Waldemar Loureiro de Campos, no Xaxim. Ambas devem ser concluídas até o final desta semana.

Na Derosso com a Isaac Ferreira da Cruz, para resolver um problema sério, está sendo implantada uma galeria de águas pluviais, de 70 metros de extensão. O tráfego intenso na rótula e o peso dos veículos, principalmente caminhões, comprometeram os tubos de 40 centímetros de diâmetro, que quebraram por causa da sobrecarga. Agora estão sendo instalados tubos de 60 centímetros de diâmetro.

A nova galeria, com tubos de maior diâmetro, vai solucionar um problema sério. "Quando chove a água acumula e a rótula some. Carros já ficaram presos aqui e houve casos de caminhões que pararam no meio do caminho porque não viram a rótula", relata o gerente do posto de gasolina que fica em frente à rótula, Roberto Pires. Segundo ele, só neste ano foram três chuvas fortes que encheram o local.

A obra deixa o trânsito lento e exige cuidado redobrado dos motoristas que passam pelo local. Agentes da Diretran orientam o trânsito no cruzamento, que já foi ponto de muitos acidentes -problema solucionado com a implantação da rótula, que organizou o fluxo de veículos que vinham das duas ruas.

Outra obra

Na rua Waldemar Loureiro de Campos, os antigos tubos para águas pluviais, de 60 centímetros de diâmetro, estão sendo substituídos por novos, com 1,2 metro de diâmetro, ao longo de 80 metros de extensão. A obra deixa o trânsito lento no trecho entre as ruas Pedro Wieler e Constantino José de Almeida, porque os tubos cruzam a rua Waldemar Loureiro de Campos.

Enquanto durarem os trabalhos, os clientes da Auto Elétrica Hang, em frente ao ponto onde as equipes da Secretaria de Obras trabalham, precisam de um pouco de paciência para entrar e sair do estabelecimento.

O dono da empresa, Sandro Hang, de 30 anos, aprova a realização da obra. "O terreno dos fundos alagava e houve época que a água represava em frente à oficina. Em março de 2003 a água invadiu a minha casa, nos fundos da oficina. É uma obra para todos os moradores que vivem na região", diz Hang.

O crescimento da impermeabilização da cidade é uma das causas da necessidade de obras como estas da Regional Boqueirão. Edificações, implantação de ruas e a redução dos espaços que podem absorver a água da chuva levam à diminuição das áreas permeáveis. Combinado a este fator há também o problema do lixo jogado nos rios, córregos e fundos de vale da cidade.