O Paraná possui mais de 7 mil detentos em dezesseis unidades prisionais. Na grande maioria dos processos criminais existem erros, não intencionais, que acabam prolongando ou não condizendo com a forma de detenção desses presos. Quem afirma são os representantes do Instituto de Reintegração e Reinserção Social (IRRS), uma organização não-governamental que há um ano presta assistência jurídica gratuita a carentes. (Leia mais na edição de amanhã do jornal O Estado do Paraná)