A Operação Carnaval da Polícia Rodoviária Federal (PRF) termina hoje (1º) à meia-noite. A operação foi feita nos 60 mil quilômetros de rodovias federais, para dar mais seguranças aos motoristas e coibir abusos no trânsito durante o feriado.

O assessor de comunicação da PRF, inspetor Ricardo Torres, destacou que as causas de acidentes nas estradas durante a quarta-feira de Cinzas são sempre os mesmos: imprudência, abuso de bebidas alcoólicas e pressa em voltar para casa. "É lamentável que as pessoas se apressem em retornar sem ter descansado suficientemente. É aquela pessoa que brincou e não teve a prudência de se programar para viajar, ou que bebeu até o último momento e não teve aquele lapso de tempo de duas a três horas para diminuir o álcool no organismo", disse Ricardo Torres.

Uma das maiores preocupações da PRF é o estado de Minas Gerais, já que o estado tem a maior malha rodoviária do País. "Minas Gerais é um corredor de quem vem do Rio para Brasília, de quem vai de Brasília para São Paulo, para os estados do sudeste de uma maneira geral. Se você for notar, Minas é o corredor de trânsito para todo o país", destacou.

Amanhã (2), a PRF divulga os números da Operação Carnaval. No ano passado, 148 pessoas morreram e 813 ficaram feridas nos 2.123 acidentes registrados. Foram fiscalizados mais de 160 mil veículos, sendo que 2.193 ficaram retidos. Além disso, 548 carteiras de habilitação foram recolhidas.