A Secretaria do Meio Ambiente e Recursos Hídricos, por intermédio do Programa Força Verde, realizou uma mega-operação entre os dias 18 e 21 de maio para monitorar e impedir o corte de remanescentes florestais na região Centro Oeste do Estado. A operação resultou em cerca de 50 multas aplicadas por diferentes crimes ambientais. ?O governo do Estado está investindo pesado na repressão contra os crimes ambientais?, afirmou o secretário Luiz Eduardo Cheida.

Após denúncias de ameaças vindas dos chefes dos escritórios regionais do Instituto Ambiental do Paraná (IAP) e documentos do Incra indicando o transporte ilegal de madeira para serrarias da região a Força Verde iniciou o monitoramento em 22 municípios envolvidos.

Uma equipe de inteligência do Batalhão de Polícia Florestal comprovou as irregularidades que foram detectadas também através de sobrevôos. Foram identificados cerca de 40 focos de desmatamento na região com maiores indícios de extração ilegal nos municípios de Cantagalo e Laranjeiras do Sul e denúncias de que parte da madeira cortada ilegalmente vinha da Fazenda Araupel e acampamento em Reserva do Iguaçu.

Integraram a operação cerca de cem homens entre fiscais do IAP e policiais do Batalhão de Polícia Florestal. O 16.º Batalhão de Polícia de Guarapuava também esteve envolvido na operação.

O presidente do IAP, Rasca Rodrigues, afirmou que a compra de aviões motoplanadores e helicópteros está permitindo uma melhor ação nas atividades de fiscalização em campo. ?Operações como esta estão acontecendo freqüentemente e com a aquisição de equipamento e formação de novos policiais temos aumentado o número de autos de infração lavrados em todo o estado?, disse Rasca.

Além dos crimes ligado ao corte e transporte ilegal de espécies nativas a operação também multou diversas pessoas envolvidas com armazenamento ilegal de madeira e instalação de empresas e serrarias sem licenciamento ambiental. Grande parte dos autos de infração lavrados se enquadraram no comércio ilegal de produtos da flora como, por exemplo, o transporte de 524 sacos de carvão vegetal sem licenciamento.

Cerca de 80 aves também foram apreendidas em cativeiro e os envolvidos autuados por envolvimento no tráfico de animais silvestres. Os municípios com maior numero de autos de infração lavrados foram Salto Segredo, Ponta Grossa, São José dos Pinhais e Laranjeiras do Sul.

De acordo com o tenente-coronel e comandante do Batalhão de Polícia Florestal Carlos Alexandre Scheremeta, durante a vistoria das áreas os policiais também pediram à população que denunciem crimes ambientais. ?Realizamos o Policiamento Ostensivo Preventivo para coibir crimes de natureza ambiental, viabilizando a responsabilização dos Infratores nas esferas administrativa, civil e criminal?, disse Scheremeta. O telefone para denúncias do Disque Força Verde é 0800- 6430304.