Brasília – As operações de resgate de brasileiros no Líbano podem ter custado US$ 1 milhão, segundo informou nesta sexta-feira (11) o Ministério das Relações Exteriores. Até o momento, os dados de que o Itamaraty dispõe dão conta de que US$ 640 mil foram repassados a embaixadas e consulados no Líbano, na Turquia e na Síria.   

De acordo com o coordenador do grupo de apoio aos brasileiros no Líbano, embaixador Everton Vargas, ainda falta contabilizar os gastos com os comboios de ônibus, alimentação e hospedagem de brasileiros em hotéis.

?Estamos trabalhando para apurar todos os custos. No depoimento do ministro Celso Amorim no Senado, ele mencionou o assunto e disse que espera do Congresso uma rápida aprovação de créditos extraordinários que serão necessários para repor os gastos que nós fizemos com essas operações de resgate,? afirmou.

O chanceler Celso Amorim foi convidado a participar de uma audiência pública nas comissões de Relações Exteriores e Defesa Nacional (CRE) e de Assuntos Econômicos (CAE), do Senado Federal no último dia 2. Além do conflito no Líbano, Amorim falou sobre a rodada Doha da Organização Mundial do Comércio, que tinha a questão dos subsídios agrícolas como tema central.