Os presidentes do PSDB, Tasso Jereissati, e do PFL, Jorge Bornhausen, foram nesta quarta-feira (18) à Polícia Federal protocolar um documento em nome das oposições demonstrando indignação com a demora nas investigações do escândalo do dossiê Vedoin. Eles se reuniram com o diretor-geral da Polícia Federal, Paulo Lacerda.

O documento pede também rapidez e transparência na divulgação do resultado da investigação. "Queremos que de forma clara e transparente a Polícia Federal comunique à sociedade o que já deve saber", disse Bornhausen. Os dois manifestaram preocupação com o comportamento do ministro da Justiça, Márcio Thomaz Bastos que, na opinião deles, estaria orientando réus e interferindo no trabalho da Polícia Federal.