Ponta Grossa sediará a II Jornada Paranaense de Agroecologia, entre 23 e 26 de abril de 2003, no Centro de Eventos. Os organizadores reuniram-se hoje, na Prefeitura de Ponta Grossa, para discussão da programação e definição de equipes de trabalho.

Cerca de 20 agricultores agroecológicos e representantes de organizações não governamentais, de secretarias municipais de agricultura, da secretária agrária do Partido dos Trabalhadores e de movimentos sociais, provenientes de União da Vitória, Curitiba, Nova Laranjeiras, Cascavel, São Mateus do Sul, Palmeira, Irati, Maringá, além de Ponta Grossa, participaram da reunião.

A coordenação geral desta edição ficou com a Assessoria e Serviços – Projetos em Agricultura Alternativa (ASPTA), com sede em União da Vitória. A primeira Jornada Paranaense de Agroecologia foi realizada em Ponta Grossa, em abril deste ano. Cerca de três mil pessoas, entre pequenos agricultores, estudantes e professores, prestigiaram o evento. Segundo o secretário municipal de Agricultura e Abastecimento, Celso Lacerda, os organizadores reuniram-se com o prefeito Péricles de Holleben Mello, com o objetivo de verificar a possibilidade da realização desta segunda edição novamente em Ponta Grossa.

A infra-estrutura existente no município atraiu os organizadores. “São poucos os municípios do interior do Paraná que possuem uma estrutura como o Centro de Eventos”, lembra o secretário. Além deste fato, segundo o secretário agrário do Partido dos Trabalhadores e advogado da Comissão Pastoral da Terra, Darci Frigo, o apoio do governo municipal de Ponta Grossa na organização da Jornada e o trabalho voltado à agroecologia desenvolvido na região, foram decisivos na escolha do local.

A Jornada vai fomentar em Ponta Grossa a discussão de assuntos polêmicos, como os transgênicos, o uso indiscriminado de agrotóxicos e o combate à fome. “Sobre a fome serão discutidas políticas de combate, mas com alimentos saudáveis”, diz Celso. O secretário destaca que, com a realização desta segunda Jornada em Ponta Grossa, o município estará participando da discussão nacional sobre transgênicos e agrotóxicos.

Durante a reunião, os organizadores definiram que, este ano, haverá marcha pública, atividades culturais e palestras com autoridades da área. O lema da Jornada ?Terra livre de transgênicos e sem agrotóxicos? será mantido. “O lema expressa os temas centrais da agroecologia”, diz Darci Frigo.

Serão incluídas ainda novas discussões, como “O império das multinacionais e da biotecnologia”, “A resistência popular”, “A questão da fome” e “A reforma agrária”. A organização definiu que a Jornada contará com palestras, mesas redonda, seminários, oficinas, shows artísticos e apresentações de músicas e de teatro por pequenos agricultores. Também está prevista a Feira de Alimentos e Produtos Agroecológicos, no dia 26. Os organizadores agendaram a próxima reunião para o dia 5 de fevereiro, em Ponta Grossa.