Representantes das Secretarias de Educação das regiões Sul e Sudeste, a Fundação Nacional do Índio (FUNAI), e o Ministério da Educação (MEC) firmaram acordo para desenvolver programas educacionais, de formação, extensão, pesquisa e estudos, junto às comunidades indígenas do Povo Guarani. A parceria é inédita no país.

A reunião foi realizada esta semana em Curitiba, na sede da Secretaria da Educação e envolve os seis estados brasileiros, nos quais a cultura Guarani tem maior evidência: Espirito Santo, Rio de Janeiro, São Paulo, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul. A finalidade é de formar os professores que já atuam nas escolas indígenas destas regiões.

A professora Fátima Ikiko Yokohama, chefe do Departamento de Ensino Fundamental da Secretaria da Educação, que atualmente agrega a Coordenação de Educação Indígena no Paraná, explica que a reunião avalia o Curso de Formação de Docentes Guarani realizado no Estado de Santa Catarina. “As localidades onde há professores atuantes estarão reforçados de acompanhamento permanente de técnicos capacitados das Secretarias”, concluiu.

Trabalhar em conjunto com outros Estados, na opinião da secretária de Educação Continuada de Alfabetização e Diversidade, Susana Grillo Guimarães, do MEC, o programa deverá “inovar e fortalecer a educação escolar indígena, transformando práticas burocráticas e administrativas numa gestão compartilhada”, disse. “O projeto respeita o princípio do povo indígena que segue outra territorialidade, diferente da nossa segmentada em unidades da federação”.

O encontro contou, também, com a participação de representantes dos professores das reservas Guarani dos estados – todos formados no Curso em Santa Catarina e atuantes nas escolas indígenas. Esta etapa foi importante na visão de Maria Helena Fialho, coordenadora geral da educação (Funai) em Brasília. “Fizemos uma avaliação do trabalho que vem sendo desenvolvido que envolve a política pedagógica, o acompanhamento dos cursistas nas suas atividades diárias nas escolas, além de discutir questões de infra-estrutura”. A terceira etapa do encontro será realizada no Espirito Santo em 2005.