Há nove dias a população de Canhotinho, município pobre a 223 quilômetros do Recife, no agreste, não tem acesso ao Orkut – página de relacionamentos na internet, da empresa Google. O bloqueio, determinado pelo Ministério Público e acatado pela Justiça da comarca, visou a diminuir o constrangimento de adolescentes – e suas famílias – que tiveram fotos suas usadas indevidamente, e de forma difamatória, em uma comunidade da página intitulada "As putas de Canhotinho".

A comunidade colocou fotos das adolescentes como participantes de um concurso mensal em que os internautas escolhem "a prostituta do mês". A mãe de uma das meninas, de 14 anos, fez a denúncia, na semana passada, ao promotor que constatou, na ocasião, fotos de pelo menos 10 adolescentes da cidade. Imediatamente, com o apoio do juiz da comarca, Marcos Vinícius, ele conseguiu tirar o site do ar, na cidade, com a ajuda do provedor local. "Foi uma medida emergencial, para evitar o mal-estar das adolescentes pelo menos no município onde moram", afirmou.

A pedido do promotor, o juiz vai encaminhar ao Google, no Rio de Janeiro, determinação judicial para a retirada do ar desta comunidade do Orkut. A Polícia Federal também foi acionada para investigar o caso. "Trata-se de um crime internacional, as imagens com informações difamatórias das adolescentes podem ser acessadas em qualquer parte do mundo", observou o promotor.

Também desde a semana passada as lan houses de Canhotinho passaram a ser obrigadas a cadastrar todos os usuários, com informações sobre o horário de utilização da internet e do computador usado por cada um deles. Segundo Alexandre Bezerra, há suspeita de que o autor ou autores do crime tenha usado essas lojas para manter o anonimato. Com o controle, crimes semelhantes poderão ser rastreados com mais facilidade.

De acordo com o promotor a comunidade usa imagens pornográficas, provavelmente tiradas da internet, e palavras de baixo calão. Ele supõe que as fotos das adolescentes podem ter sido tiradas de páginas em que elas se apresentem – todas recatadas.