Brasília – O presidente da Caixa Econômica Federal Jorge Mattoso, afirmou hoje (7) que um acordo social para garantir um crescimento da economia brasileira acima de 5%, proposta ontem pelo ministro da Fazenda, Antonio Palocci, se constrói "conversando, ouvindo, discutindo". Segundo ele, é mais ou menos o que foi feito na área de habitação. "E, hoje, nós estamos aqui anunciando medidas para habitação", completou Mattoso, após a solenidade na qual o presidente Luiz Inácio Lula da Silva anunciou, no Palácio do Planalto, um conjunto de medidas para incentivar a construção civil para classe média e camadas populares.

Mattoso observou que as medidas anunciadas no Palácio do Planalto foram discutidas com a iniciativa privada e com os movimentos sociais. "Esse conjunto de iniciativas é que permitiu que se consolidasse uma situação tão favorável para a construção civil", acrescentou. "Sozinho, o governo não faz. Precisa-se da parceria, e essa parceria foi construída na construção civil e é um exemplo a ser seguido."

Iniciativas como o pacote da construção e um entendimento em favor do crescimento econômico estão sendo criticadas pela oposição como medidas eleitoreiras. Questionado a respeito, o ministro do Planejamento, Paulo Bernardo, disse que a oposição precisa mostrar as suas propostas e parar de torcer contra. Ele comentou que, ao classificar tudo o que o governo faz como eleitoreiro, a impressão que a oposição passa é que gostaria de ter um país paralisado um ano antes da eleição. "Ninguém vai querer isso", afirmou.