Rio (AE) – A primeira noite do cantor de pagode Marcelo Pires Vieira, o Belo, na carceragem superlotada da Polinter, ocorreu sem incidentes. O cantor está preso numa cela com mais de 30 pessoas. A informação foi dada por um dos três advogados de Belo, César Ferraro, que tentou vê-lo hoje, mas não conseguiu porque chegou no momento da conferência dos detentos. Belo, condenado a oito anos de prisão, foi preso ontem pela manhã em um esconderijo em sua casa, na zona oeste.

Cesar Ferraro contou que Belo estava apreensivo antes de descer ao xadrez 19, onde foi colocado, por volta das 20 horas de sexta-feira. “Ele estava em choque, ainda sob o impacto da prisão”. O pagodeiro, que responde por tráfico de drogas e associação com o tráfico, pediu apenas roupas e cigarros. A Polinter, na zona portuária, tem capacidade para 600 presos, mas abriga 1.600.