O relator do projeto da Lei de Biossegurança no Senado, Ney Suassuna (PMDB-PB), recebeu hoje carta do pai do cantor Herbert Vianna, Hermano Paes Vianna. Ele pede aos senadores que não adotem restrições às pesquisas com células-tronco. Hermano afirma que não faz a defesa apenas em nome de seu filho, que sofreu um acidente com um asa-delta e tem problemas físicos em decorrência dele, mas em nome de todas as pessoas que mantêm “enorme esperança” no resultado das pesquisas com células-tronco.

Segundo Hermano, a autorização para o País fazer livremente esse tipo de pesquisa “é o mesmo que um compromisso da Nação para com milhares de pessoas que tiveram diminuição da sua capacidade de produção, atingidas por acidentes, em sua maioria provocados pelas más condições de nossas estradas, nosso transporte e pelos tiros nos confrontos entre nossos policiais e os marginais que infestam nossas cidades, além de muitas doenças hoje incuráveis”.

Suassuna se disse sensibilizado, mas lamentou que a negociação para inclusão da matéria no projeto tenha resultado na proibição da chamada “clonagem terapêutica” que, segundo ele, permitiria aliviar os males de inúmeras pessoas. A sessão conjunta das Comissões de Constituição e Justiça (CCJ), de Assuntos Sociais (CAS) e de Assuntos Econômicos (CAE) para apreciar o relatório de Suassuna, suspensa ao meio-dia, deverá ser retomada no começo da tarde.