O presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse hoje (15) que o país buscará a auto-suficiência de gás natural e continuará a comprar gás boliviano, "desde que o gás da Bolívia seja conveniente do ponto de vista de preço para o povo brasileiro".

"Nós temos de ser donos do nosso nariz. O Brasil tem condições e, portanto, nós vamos trabalhar para que o Brasil seja auto-suficiente. Isso não implica que a gente não continue importando gás da Bolívia, desde que o gás da Bolívia seja conveniente do ponto de vista de preço para o povo brasileiro", afirmou no programa de rádio Café com o Presidente.

Para o presidente Lula, a nacionalização do gás boliviano provocou polêmica, interpretações equivocadas e "afirmações equivocadas". Lula e o presidente da Bolívia, Evo Morales, se encontraram na Áustria, durante a Cúpula União Européia ? América Latina e Caribe. Dois dias antes, Morales havia declarado que a Petrobras agiu ilegalmente em seu país.

"O que eu disse ao presidente Evo Morales é que nós reconhecemos que a Bolívia é dona do seu gás e eles, bolivianos, reconhecem que o Brasil é o maior consumidor. Nós somos dois países que precisamos estar em paz, precisamos ter tranqüilidade e precisamos, na renovação dos acordos que temos que fazer, levar em conta, primeiro, o contrato que nós temos; segundo, um preço que seja justo para os bolivianos e, ao mesmo tempo, seja justo para os brasileiros que consomem o gás", disse.