O ministro da Fazenda, Antonio Palocci, minimizou hoje a crise no Congresso, gerada pelo atraso do governo em liberar recursos para as emendas parlamentares. “Se há ainda conflitos internos, serão superados”, disse Palocci para quem os projetos em tramitação no Legislativo serão aprovados.

“A Lei de Falência, a Parceria Público-Privada (PPP), a Lei de Biossegurança, são necessárias para o Brasil”, afirmou.

Ele acredita que as reclamações dos parlamentares não atrapalharão a votação das propostas. “O debate político é sempre caloroso.” Palocci lembrou que, no semestre passado, quando faltava, aproximadamente, um mês e 15 dias para o término do período, os questionamentos eram os mesmos.

Ao contrário das expectativas, nas últimas, o Congresso fez um trabalho “bastante eficiente” para a votação de matérias importantes. O ministro da Fazenda disse que tem certeza que o Brasil é capaz de construir uma pauta de interesse do País e ressaltou que os partidos têm sempre a oportunidade de, em anos eleitorais, fazer uma “boa peleja”.

Mas Palocci disse que, fora desse período de eleição, deve interessar a todos buscar as medidas que fazem o Brasil crescer. “Não acredito que exista algum partido político que não deseja o crescimento do País”, disse.