Apesar de toda a evolução tecnológica no setor de telecomunicações, o sistema de rádio ainda é considerado vital para a aviação. É por meio dele que os controladores transmitem as autorizações aos pilotos e monitoram as operações, tanto nos aeroportos quanto durante o vôo. Pelas regras internacionais, um jato pode voar sem cobertura de radar – isso ocorre, por exemplo nas rotas oceânicas -, mas nunca sem contato via rádio.

Segundo fontes da Aeronáutica, o apagão registrado ontem no Cindacta-1 foi provocado por uma pane no software que controla a Central de Áudio. Ela é responsável por filtrar todas as freqüências disponíveis, selecionar as mais potentes e com menos interferências e repassá-las aos consoles. "Por algum motivo que ainda desconhecemos, esse software deixou de funcionar", explica um oficial. "É a primeira vez que vemos isso.

O mesmo oficial informou que a empresa italiana Sitti, responsável pelo desenvolvimento do programa, seria acionada para avaliar as causas da pane. Ontem à tarde, o jornal O Estado de S. Paulo entrou em contato com a Sitti. Um dos diretores da empresa, que se identificou como Mário, garantiu desconhecer o problema. "Não acho que isso (a pane) seja possível e, até agora as autoridades brasileiras não fizeram qualquer contato.