O candidato da Frente Trabalhista a presidente, Ciro Gomes (PPS-PDT-PTB), classificou hoje, em São Paulo, como ?a seqüência de uma tragédia? a decisão do Comitê de Política Monetária (Copom), tomada hoje, de manter a taxa Sistema Especial de Liqüidação e Custódia (Selic) em 18,5%, com viés de baixa.

Ciro Gomes afirmou que o Brasil vive, neste momento, um ataque especulativo e que seria difícil, nestas circunstâncias, baixar a taxa de juros.

?A taxa de juros deveria cair lá atrás, quando o País tinha condição, tranqüilamente, de reduzi-la?, declarou. Ele, que participa agora de uma assembléia na porta da Metalúrgica Deca, em companhia do candidato da Frente Trabalhista a vice-presidente, o sindicalista Paulo Pereira da Silva (PTB), Paulinho, comentou que o saque de US$ 10 bilhões feito no Fundo Monetário Internacional (FMI) para prover o Banco Central (BC) ainda não produziu efeitos.

?Pela condição objetiva da economia, pelo erro que eles cometeram, não há margem, a não ser por pressão eleitoral, para os juros baixarem?, disse.