O líder do PT no Senado, Delcídio Amaral (MS), disse há pouco apostar que a
reforma ministerial sairá esta semana. Segundo ele, a decisão do presidente Luiz
Inácio Lula da Silva de efetuar mudanças no seu quadro de auxiliares diretos "é
necessária porque o Congresso está parado". Amaral disse que a solução para a
coordenação política do governo, atualmente nas mãos do ministro Aldo Rebelo
(PCcoB), "deverá ser conhecida nas próximas horas". O PT tem defendido a
substituição de Rebelo por um nome petista na coordenação política.

Para
o cargo, estaria cotado o ex-presidente da Câmara, deputado João Paulo Cunha
(PT-SP), mas a condição para esta nomeação é a desistência dele da candidatura
ao governo de São Paulo nas eleições de 2006.