O presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse hoje que o Brasil conta com o melhor programa de transferência de renda da história. No dia 17 de setembro, segundo ele, foi atingida a marca de cinco milhões de famílias beneficiadas. Elas recebem, em média, R$ 78 por mês. ?No governo passado, as famílias recebiam, em média, R$ 28 por mês. Isso significa que praticamente triplicamos o valor, além de outras ações. O Fome Zero é composto por uma série de políticas que vão desde a geração de empregos até a questão da política agrícola?, afirmou.

Sobre o combate à fome no mundo, o presidente disse que é preciso persistência. Ele reconheceu que é difícil chegar a um consenso sobre de onde viria o dinheiro para a solução do problema. ?Isso é um processo, o que nós temos é que persistir. Convencer alguém a aceitar uma taxação sobre comércio de armas não é uma coisa fácil. Convencer alguém que toda circulação de dinheiro no mundo pague uma espécie de CPMF não é uma coisa fácil?, acrescentou.

Lula afirmou que a reunião da ONU, com a participação de 60 chefes de Estado e de governo e de 49 ministros, foi um passo importante para a união dos países em torno do combate à fome. ?Nós achamos que devemos trabalhar com mais consistência. O primeiro passo foi dado, foi uma reunião extraordinária?.

O presidente ressaltou que esta foi a maior reunião da ONU convocada por um presidente da República. ?Uma coisa importante é que foi convocada pelo Brasil e por uma coisa simples, porque de todos eles, só eu posso falar da fome. Não apenas porque meu país é pobre , porque muitos são mais pobres do que nós. Mas porque eu conheço o problema dentro da minha alma, dentro do meu estômago e acho que esse é um tema prioritário?, disse.

Lula lembrou que se o mundo tem tecnologia e capacidade de produzir alimentos suficientes, é preciso distribuí-los de forma mais justa. ?Eu acho que se não fosse a minha passagem pela Presidência, possivelmente esse tema teria passado desapercebido. Mas eu vou teimar nisso, porque tem dinheiro?, garantiu.