O ministro da Fazenda, Guido Mantega, considerou o debate entre o presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o tucano Geraldo Alckmin, na noite da última segunda-feira (23), "mais esclarecedor do que os outros realizados no segundo turno". Segundo ele, os candidatos tiveram ontem a oportunidade de falar mais claramente de temas importantes, como política externa, política regional e contas públicas. "Aos poucos, o eleitor vai formando o seu conceito sobre o que cada um pensa das coisas", afirmou o ministro.

"Eu considero que o debate foi menos agressivo que o primeiro, mas acho que um debate presidencial tem de ter uma certa emoção" avaliou, ao lembrar que a audiência média do debate foi de 17 pontos, o que significa, na sua avaliação, que o telespectador está interessado em política. "O mais importante do segundo turno é politizar o eleitor. É fazer o eleitor se envolver com questões reais da economia, da política e do social. Eu acho que este objetivo está sendo alcançado", disse ao chegar para o encontro do Conselho Monetário Nacional (CMN).

Mantega afirmou considerar que o presidente Lula ganhou o debate. No entanto, ressaltou ser suspeito para fazer esta avaliação. "Acho que o meu candidato ganhou a disputa. Fiquei satisfeito com as colocações do presidente Lula sobre comércio exterior, impostos e crescimento. Ele conseguiu falar da maneira mais natural e mais espontânea possível, como é de seu costume, e deu um fecho bom para o debate", avaliou.