A Polícia do Rio de Janeiro ouviu novas testemunhas que apontam o ex-motorista de Renné Senna, ganhador da Mega-Sena assassinado no começo do ano, como a pessoa que guiava a moto utilizada no dia do crime. O motorista Ednei Gonçalves Pereira está preso. Os depoimentos também reiteram a versão de que Anderson Sousa, ex-segurança do milionário, atirou contra Senna. A polícia vai pedir prorrogação das prisões de Anderson e Ednei, além de Janaína Silva, da viúva Adriana Almeida e dos ex-seguranças do Ronaldo Oliveira e Marcus Vicente.