Christophe Simon/AFP

O equilíbrio foi a tônica durante o primeiro tempo entre Paraguai e Japão, em Pretória, pelas oitavas de final da Copa do Mundo da África do Sul. No duelo entre duas seleções que jamais chegaram ás quartas de final de um Mundial, paraguaios e japoneses vêm fazendo um jogo muito disputado, com apenas duas oportunidades de gol de cada lado até o intervalo.

Os primeiros chutes foram do Japão. O atacante Okubo, com menos de um minuto de jogo, avançou pela esquerda e chutou de fora da área à direita do goleiro do Paraguai, Justo Villar. Dois minutos depois, o meia Abe chutou da direita, também de fora da área, para defesa segura de Villar. Oportunidade de gol, porém, só aconteceu aos 19 minutos, e foi do Paraguai. O atacante Lucas Barrios recebeu na área, driblou Komano e chutou para boa defesa de Kawashima, que estava bem colocado no lance.

A resposta do Japão veio um minuto depois, e em grande estilo. O meia Matsui recebeu na intermediária e bateu de primeira, encobrindo Villar. A bola explodiu no travessão e saiu pela linha de fundo. Aos 27 minutos, em cobrança de escanteio pela esquerda, a bola sobrou para o atacante paraguaio Roque Santa Cruz na marca do pênalti, mas ele chutou para fora. Aos 39, num contra-ataque rápido, Matsui rolou para Honda, que da entrada da área chutou de primeira, à direita de Villar.

O primeiro chute a gol foi do japão, aos 8 minutos. Nagatomo pegou um rebote na entrada da área, pelo lado esquerdo e chutou de primeira. A bola foi amortecida pelo volante Bonet e Villar fez a defesa segura. Na resposta paraguaia, Benítez recebeu na área e chutou de esquerda, mas Nakazawa conseguiu desviar para escanteio. Aos 13, Morel Rodrigues cruzou para Riveros cabecear em cima de Kawashima, que defendeu sem dar rebote.

Aos 25 minutos, Honda tocou para Okazaki na área, pela direita. O atacante japonês chutou cruzado e a bola foi desviada por Ortigoza. Aos 36, o lateral Nagatomo foi ao fundo pela esquerda e cruzou perigosamente. O goleiro Villar se antecipou a Okubo e socou a bola para longe. Depois disso, os dois times preferiram não arriscar muito e esperar a prorrogação para decidir quem segue na Copa da África do Sul.

No segundo tempo da prorrogação, o Japão quase fez o gol aos 10 minutos. Tamada avançou pela esquerda e tocou de calcanhar para Okazaki, que, na saída do goleiro paraguaio, preferiu cruzar para o meio da área, e a bola passou por todos sem tocar em ninguém. Foi a última oportunidade de gol antes do apito final do juiz, o belga Frank de Bleeckere. E a decisão da vaga ficou para a disputa por pênaltis.

Stephane de Sakutin/AFP

Na decisão por pênaltis, Barreto fez 1 a 0 para o Paraguai; Endo empatou para o Japão: Lucas Barrios fez 2 a 1; Hasebe empatou de novo; Riveros fez 3 a 2; Komano chutou no travessão e colocou o Paraguai em vantagem; Valdez fez 4 a 2 e Honda converteu o terceiro para o Japão. No último pênalti, Cardozo converteu e colocou o Paraguai, pela primeira vez em sua história, nas quartas-de-final da Copa do Mundo.

Foto por: Stephane de Sakutin

Na decisão por pênaltis, Barreto fez 1 a 0 para o Paraguai; Endo empatou para o Japão: Lucas Barrios fez 2 a 1; Hasebe empatou de novo; Riveros fez 3 a 2; Komano chutou no travessão e colocou o Paraguai em vantagem; Valdez fez 4 a 2 e Honda converteu o terceiro para o Japão. No último pênalti, Cardozo converteu e colocou o Paraguai, pela primeira vez em sua história, nas quartas-de-final da Copa do Mundo.

“Sofremos muito. Fizemos um grande esforço. É mais um passo, mas ainda não é o que queremos”, disse o treinador do Paraguai, Gerardo Martino.