Durante a abertura do VII Encontro Nacional de Educação de Jovens e Adultos (EJA), que acontece nesta quarta-feira (31) e vai até sábado (03), no Centro de Convenções Ulisses Guimarães em Brasília, o Ministério da Educação (MEC) entregará medalhas de premiação para os Estados que obtiveram maior relevância social na experiência com EJA. Com o projeto ?Paraná Alfabetizado?, o Paraná ficou entre os quatro primeiros colocados e recebe a Medalha Paulo Freire na categoria maior destaque em EJA.

O Paraná Alfabetizado está na segunda edição e, entre 2004 e 2005 ampliou em 90% o número de alunos, passando de 24.642 para 46.966 alfabetizandos. O número de municípios atendidos passou de 225 para 344, obtendo aumento de 53%. Nesses dois anos, o número de turmas mais que dobrou, passando de 1.275 para 2.577. Dessas, 252 atendem pessoas com necessidades especiais (surdez, auditiva e mental), 25 turmas estão em terras indígenas, envolvendo 331 alfabetizandos kaingang e guarani, duas turmas em terras quilombolas e 12 turmas atendem pescadores.

Conforme dados do censo do IBGE de 2000, o número de pessoas não alfabetizadas no Paraná é de 649 mil, ou seja, 3,8% da população. O total de atendidos nas duas edições indica que cerca de 10% deste percentual já está envolvido no projeto.

O secretário da Educação Mauricio Requião disse que o prêmio concedido pelo MEC ao Paraná significa o reconhecimento ao esforço que o Estado tem feito nesse sentido. ?Essa premiação não é só à Secretaria da Educação, mas a todos os alfabetizadores e alfabetizandos, que no dia-a-dia se envolvem, fazendo com que o programa aconteça. Ela aponta, sobretudo, para a importância de que essa ação permaneça e com ampliação nos anos seguintes?, destacou.