O presidente do Instituto Ambiental do Paraná (IAP), Rasca Rodrigues, representou o governo do Paraná, nesta sexta-feira, no I Seminário Sul Brasileiro de Manejo de Dejetos de Suínos e Aves, que está sendo realizado pelo Ministério do Desenvolvimento Agrário, no município de Concórdia, em Santa Catarina. ?O Paraná foi convidado a expor a sua experiência com o licenciamento de suinocultores que, atualmente, é referência nacional?, disse.

A proposta do seminário é orientar os produtores sobre a implantação de boas práticas ambientais como a destinação final correta dos dejetos gerados pelos animais.

O evento é direcionado a gestores, técnicos governamentais de órgãos ambientais, de instituições de apoio à produção, entidades representativas dos setores de suínos e aves e de organizações da sociedade civil. O objetivo é conhecer experiências de manejo de dejetos existentes nos três estados do Sul do país.

Experiência paranaense

O trabalho desenvolvido pela Secretaria do Meio Ambiente do Paraná, através do Programa Nacional de Meio Ambiente II (PNMA II) abrange 34 produtores da região de Toledo, que estão recebendo incentivos para garantir o licenciamento ambiental das propriedades suinícolas. Além disso, um manual técnico foi desenvolvido para orientar os produtores no manejo, readequação ou relocação das pocilgas. Este manual vem sendo utilizado como modelo por diversos estados do país.

?O projeto visa também a implantação de processos de tratamento sanitário para um manejo ambientalmente adequado dos dejetos e resíduos dos porcos visando sua valorização para uso agrícola?, afirmou Rasca.

Segundo ele, os produtores brasileiros estão percebendo que a falta do correto manejo e da preocupação com a agressão ao meio ambiente pode comprometer toda a produção. ?Os mercados internacionais estão cada vez mais exigentes com relação ao controle ambiental?, completou o presidente do IAP.

De acordo com o presidente da Associação Catarinense de Criadores de Suínos, Wolmir de Souza, Concórdia está sediando o seminário por ser considerada o ?berço da suinocultura?. ?E também porque temos aqui o Centro Nacional de Pesquisa de Suínos e Aves, que é a Embrapa, o que nos dá este credenciamento\", ressalta.

A programação do evento inclui ainda palestra de representante do BNDES, que falará sobre venda de créditos de carbono – caminhos e possibilidades. O projeto de inserção de suinocultores no mercado de crédito de carbonos já está sendo realizado pioneiramente pelo Paraná.

No último dia 30 de agosto, a Secretaria do Meio Ambiente realizou, em Curitiba, um seminário de apresentação dos resultados já obtidos com o projeto utilizando o Mecanismo de Desenvolvimento Limpo (MDL). A idéia é possibilitar aos suinocultores uma renda alternativa com a venda de créditos de carbono gerados através da queima do metano.