Dois Arranjos Produtivos Locais (APLs) do Paraná passam a contar com recursos do governo federal voltados à criação de micro e pequenas empresas de padrão internacional de competitividade. A conquista é da Secretaria da Indústria, do Comércio e Assuntos do Mercosul. Os recursos são da ordem de R$ 420 mil.

Maior produtora de bonés do país, o APL de Apucarana e o APL de móveis de madeira em Arapongas deverão ser consolidados. A verba é de um convênio assinado com a Fundação de Apoio ao Desenvolvimento da Universidade Estadual de Londrina (Fauel) e visa a implantação de projetos-pilotos com os empresários das cidades beneficiadas.

Para o secretário Virgílio Moreira Filho, os cursos de extensão vão disseminar a cultura exportadora nas empresas. ?O convênio também se destina a suprir a lacuna na modernização da organização das pequenas e médias empresas do setor?, explica.

Ainda segundo Virgílio, o projeto é resultado das relações do Paraná com o governo federal. ?O Estado vem mantendo níveis importantes de articulação com o Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), em especial para a consolidação dos APLs paranaenses inseridos como prioridades do Ministério?, acrescenta.

Segundo o coordenador estadual de Desenvolvimento Industrial e Comercial, Noé Vieira, os empresários envolvidos nos dois APLs deverão se apressar para apresentar os seus projetos de desenvolvimento de suas empresas. ?Para esse ano a corrida será contra o tempo, pois o Ministério fixou até a segunda quinzena de março que os empresários dos APLs paranaenses entreguem seus Planos de Desenvolvimento e possam contar com a coordenação de técnicos do Governo estadual?, conclui.