O governador do Paraná, Roberto Requião, decretou estado de emergência na região sudoeste do estado e determinou a formação de uma força-tarefa para realizar obras para amenizar os efeitos da seca. Na prática, a decretação do estado de emergência vai facilitar o trâmite de pedidos de ajuda dos municípios ao governo federal.

Requião informou que máquinas do Departamento de Estradas de Rodagem e a estrutura da Companhia de Desenvolvimento Agropecuário do Paraná (Codapar) serão usadas para o aprofundamento de poços, limpeza de córregos e abertura de tanques, de modo a amenizar os problemas gerados pela estiagem.

Segundo a vice-presidente da Associação dos Municípios do Sudoeste do Paraná (Amsop) e prefeita de Pranchita, Iva Magnani, os municípios mais atingidos são aqueles da região de fronteira. "A região toda sofreu com a estiagem, mas os municípios com situação mais dramática são Francisco Beltrão, Barracão e Pranchita", afirmou.

De acordo com o secretário chefe da Casa Civil, Caíto Quintana, está sendo ajustada em Brasília a definição da visita do presidente Luiz Inácio Lula da Silva para ver a situação da seca no Paraná.