O vice-governador Orlando Pessuti participa nesta sexta-feira (25) na sede da Sociedade Rural em Assunção, no Paraguai, de reunião para discutir a criação de um plano de ação conjunta voltado para a defesa sanitária animal e vegetal na área de fronteira entre o Paraná e o país vizinho.

Além da troca de informações, técnicos da Secretaria e do Mistério da Agricultura, representantes do setor privado de ambos os países e membros do Governo paraguaio vão discutir educação sanitária, vigilância epidemiológica, ações emergenciais em casos de suspeita e definir os procedimentos de vigilância e defesa sanitária.

Segundo Pessuti, a reunião é a oportunidade para o Paraná e o Paraguai avançarem, por meio de um acordo de cooperação mútua, num plano de ações que possibilite um uma maior defesa sanitária nos pontos de fronteira entre o Brasil e o Paraguai. ?A erradicação da febre aftosa na América do Sul tem como condição um plano de ação conjunta, já que os vírus detectados nos países da região nos últimos cinco anos têm sido do mesmo tipo. Foi o que aconteceu na Argentina, Uruguai, em Jóia, no Rio Grande do Sul, e no Mato Grosso do Sul?, disse.

O vice-governador explicou que há uma persistência do vírus do tipo ?O? na região. ?Diante de qualquer queda da imunidade dos rebanhos, a doença se manifesta. E sempre que se manifesta em qualquer país, estado ou município da região, há impactos negativos no setor econômico dos demais?, explicou.

Pessuti destacou que a única solução para evitar essa situação, já que o vírus não respeita fronteiras, é um plano de ação conjunta voltado para a erradicação da febre aftosa. ?As colunas de sustentação desse plano serão a vigilância epidemiológica, a educação sanitária e as ações emergenciais sincronizadas?.

A reunião é resultado do encontro ocorrido no dia 29 de outubro, em Foz do Iguaçu, entre representantes do Governo do Estado, do Conselho Estadual de Sanidade Agropecuária (Conesa), do Fundo de Desenvolvimento da Agropecuária do Estado do Paraná (Fundepec), do Ministério da Agricultura e dos setores público e privado do Paraguai.

O evento teve como objetivo esclarecer os técnicos do país vizinho sobre as ações e procedimentos praticados pelo Governo do Paraná, em parceria com entidades privadas, para impedir que o vírus da aftosa atinja o rebanho paranaense.

Na ocasião, o presidente do Serviço Nacional de Qualidade, e Saúde Animal (Senacsa), do Paraguai, Hugo Corrales Irrazábal, elogiou a transparência e a agilidade do Governo do Paraná na luta contra a ameaça da febre aftosa.