O Instituto Ambiental do Paraná (IAP) realizou esta semana consultas públicas no município de Jaguaraíva para discutir a ampliação da área do Parque Estadual do Cerrado e a criação do Parque Estadual do Codó, ambos na região Nordeste do Estado, com uma área de 2,5 mil hectares.

Ontem (30), a consulta pública abordou a ampliação do Parque Estadual do Cerrado ? que terá sua área aumentada em quase quatro vezes. ?Sua área de proteção passará de 420 hectares para mais de 1,9 mil hectares; ou seja, um acréscimo de 1,5 mil hectares voltados à conservação de um ecossistema particular na constituição biológica e geográfica do Estado?, explicou o diretor de Áreas Protegidas do IAP, João Batista Campos.

A ampliação do Parque Estadual do Cerrado, localizado entre os municípios de Sengés e Jaguariaíva, visa proteger os últimos remanescentes expressivos do cerrado paranaense – considerado por especialistas e técnicos, como uma das 19 áreas mais representativas e ameaçadas para a biodiversidade do mundo. ?A formação de cerrado no Paraná tem ocorrência em pequenas manchas, não é como na região central do mapa brasileiro?, destacou o diretor. ?Essa formação paranaense acabou desenvolvendo e apresentando uma população de espécies diferenciada e diversificada geneticamente?, acrescentou.

Parque Estadual do Codó – A criação do Parque Estadual do Codó, em Jaguariaíva, foi discutida na última terça-feira (29). ?O projeto engloba o já existente Parque Municipal do Lago Azul e irá abranger uma área aproximada de mil hectares?, explicou João Batista. ?Nele estarão protegidas florestas de galerias, capões de araucária e vegetação típicas de Campos?, completou.

?O vale formado pelo Rio Codó apresenta uma formação natural particular e praticamente única no território paranaense, uma área importante em termos paisagísticos, e estratégica para a preservação da biodiversidade . A geografia, que lembra a de um cânion, é bastante úmida e favorece a formação das chamadas ?florestas de galerias?, informou João Batista.

Além desta vegetação local o parque irá proteger toda a lâmina de água formada pelo Rio Codó com cerca de cinco mil metros de comprimento e 50 metros de largura.

Consultas Públicas – Durante as consultas públicas, os técnicos do IAP apresentam a importância da biodiversidade das regiões para o Paraná e discutem com autoridades locais e proprietários das terras os planos de desapropriação e de manejo para as áreas dos parques.

O diretor de Áreas Protegidas do IAP destacou que a idéia é criar estímulos para o desenvolvimento sustentável das propriedades vizinhas dos Parques (área de entorno), visando a utilização consciente dos recursos naturais de toda região.