O Paraná gerou 34.923 novos empregos formais no primeiro trimestre deste ano, segundo dados divulgados ontem pelo Ministério do Trabalho. O resultado representou 13.326 empregos a mais do que o gerado no mesmo período de 2003. Significou também um aumento de 2,2% sobre o total de trabalhadores paranaenses com carteira assinada, que agora chega a 1,637 milhão. A média nacional ficou em 1,49%.

Os dados do acumulado do ano colocam o Paraná entre os quatro Estados que mais geram empregos, juntamente com São Paulo (142.701), Rio Grande do Sul (52.230) e Minas Gerais (36.891). No acumulado dos últimos 12 meses, o Paraná criou 75.967 novas oportunidades de trabalho, resultado inferior apenas ao de São Paulo (234.922) e Minas Gerais (98.645).

Ainda de acordo com o levantamento, só em março foram registrados 17.010 novos empregos no Paraná, um crescimento de 1,06%. A taxa brasileira no mês foi calculada em 0,46%. O resultado do Paraná no mesmo período só ficou atrás do de São Paulo (51.257) e o do Rio Grande do Sul (19.155).

Setores

Entre os segmentos econômicos que mais geraram novas oportunidade de trabalho no trimestre no Paraná está o da indústria de transformação (14.246), com destaque para o setores de produtos alimentares e bebidas (3.560), madeira e mobiliário (2.936), têxtil e vestuário (1.557), mecânica (1.467) e material de transporte (1.023).

Já o segmento de serviços gerou 10.027 novos postos, entre os quais 3.193 no setor de administração de imóveis e tecnologia, 2.993 em lojas de alimentação e manutenção e 2.016 no de ensino. O comércio foi responsável por 7.655 empregos formais de janeiro a março. Desse total, 5.242 foram oportunidades de trabalho geradas no comércio varejista e 2.413 no atacadista. A agricultura gerou 1.878 empregos formais.