A Secretaria de Segurança Pública do Paraná divulgou na noite de ontem (14) nota oficial afirmando que as rebeliões ocorridas no domingo no estado "não têm ligação alguma com os movimentos que acontecem em São Paulo".

Segundo a nota, desde sábado (13), ao tomar conhecimento dos fatos de São Paulo, a Secretaria da Segurança Pública paranaense determinou que os comandos das polícias Civil e Militar mantivessem os policiais em alerta e aumentou a fiscalização na divisa com São Paulo e em todas as delegacias de polícia do Paraná.

A nota afirma que em Cascavel, onde foi registrada uma rebelião na manhã de ontem, a situação foi controlada em poucas horas. Em Toledo, houve um princípio de tumulto à tarde, na cadeia pública da 20.ª Subdivisão, que imediatamente também foi controlada. Em Assis Chateaubriand, houve uma revolta dos presos, mas em seguida a polícia conteve a situação.

Em Foz do Iguaçu, onde a rebelião na Cadeia Pública Laudemir Levis já dura 24 horas, o delegado Luiz Alberto Cartaxo Moura, chefe da Divisão Policial do Interior, comanda neste momento as negociações visando liberar um carcereiro e cinco presos de confiança que estão sendo usados como reféns. Policias militares permanecem do lado de fora da prisão para manter a segurança.