O governo do Estado já está preparando a visita do presidente da Venezuela, Hugo Chávez, que deverá vir ao Paraná na primeira semana de março. Representantes paranaenses estiveram nos últimos dias em Caracas para identificar os setores que podem ser mais lucrativos para as importações paranaenses e, com isso, definir os empresários que virão com o presidente venezuelano para realizar rodadas de negócios com empresários locais.

A missão de Chávez ao Paraná é um desdobramento da visita do governador Roberto Requião em novembro de 2005 à Venezuela. Foram realizados 150 encontros nas rodadas de negócios que alcançaram valores iniciais de US$ 300 milhões, além de 28 acordos de cooperação entre o Paraná e a Venezuela.

Segundo o secretário da Indústria, do Comércio e Assuntos do Mercosul, Virgílio Moreira Filho, o Paraná tem um saldo muito bom com o país sul-americano. ?Desde 2003 as exportações paranaenses para a Venezuela aumentaram 153%, o que garantiu um ótimo saldo comercial ao Estado. Em 2005 as exportações ultrapassaram a marca de US$ 185 milhões?, afirma.

Missões – Saldos positivos na balança comercial para o Paraná têm sido destaque nos últimos anos devido às missões empresariais realizadas pelo governo estadual aos países latino-americanos. Em dois anos de missões, o Estado aumentou em 77% as exportações para esses países.

Por outro lado, a Venezuela também tem interesse em aumentar suas exportações ao Paraná, diz o coordenador de Assuntos Internacionais e do Mercosul, Santiago Gallo. ?Há de se destacar que, apenas após 2001, o saldo da balança comercial paranaense deixou de ser negativo nas relações comerciais com a Venezuela?, destaca.

De 2003 a 2005 o número de empresas paranaenses que exportaram para a Venezuela saltou de 105 para 153, exportando de 363 produtos em 2003 para 526 em 2005, o que garantiu ao país a 15ª colocação no ranking de maiores importadores do Paraná. Paradoxalmente, o Paraná importou em 2005 produtos de apenas 13 empresas venezuelanas, contabilizando a quantia de 10 produtos.

Para Gallo, esses números serão mais equilibrados após a vinda de Chávez ao Paraná. ?Já firmamos vários convênios em Caracas em novembro passado, e as relações comerciais entre o Paraná e a Venezuela vão ser fortalecidas com essa missão ao Estado?, acrescenta.