A saúde do trabalhador e a implantação crescente de políticas públicas relacionadas com a área serão alguns dos temas discutidos na 4ª Conferência Estadual de Saúde do Trabalhador, promovida pelo Governo do Estado, por meio da Secretaria da Saúde e pelo Conselho Estadual da Saúde.

Embora o evento esteja marcado para outubro, diversas ações estão sendo feitas para garantir o sucesso do encontro. ?Eventos como este são de grande importância para que o SUS avance cada vez mais, inclusive com a base de apoio do controle social, que é uma das prerrogativas do sistema?, avalia o secretário da Saúde, Cláudio Xavier.

Quinze conferências macrorregionais preparatórias estão com data marcada e outras já foram realizadas. Até agora, Ponta Grossa, Irati, Telêmaco Borba, Apucarana, Londrina, Cornélio Procópio e Jacarezinho já realizaram seus encontros. Em Guarapuava e Ivaiporã as conferências ocorreram no sábado. Campo Mourão, Umuarama, Cianorte, Paranavaí e Maringá agendaram seus encontros para o dia 20 deste mês. Outros sete encontros já foram realizados.

O objetivo é eleger os delegados para que a conferência estadual prepare a grande conferência e siga a linha de regionalização dos serviços de saúde implantados pelo governo do Estado.

?Desta maneira existe uma discussão local da saúde e a elaboração de estratégias para cada região. O Paraná investe nesta descentralização?, afirmou a presidente do Conselho, Maria Goretti Lopes. Ela ressaltou a importância de uma discussão interdisciplinar do tema.

Segundo ela, a Conferência Nacional, que será realizada em novembro, em Brasília, conta com o apoio e acompanhamento dos ministros da Saúde, Saraiva Felipe, do Trabalho e Emprego, Luiz Marinho, e da Previdência Social, Nelson Machado.

Maria Goretti disse também que acidentes e doenças relacionados com o trabalho, além de trazerem um grande problema e desconforto para a população, geram dificuldades para a Previdência, que acaba tendo gastos que poderiam ser evitados.