Mais de 75 ações foram propostas pelos participantes paranaenses da Semana Nacional pela Cidadania e Solidariedade, encerrada nesta sexta-feira (11), em Curitiba. As atividades realizadas durante toda a semana concentraram-se nos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODM).

Entre as contribuições dos participantes para que o Estado atinja os Objetivos cinco anos antes do prazo estabelecido pela ONU estão promover a interação entre "grandes compradores" e pequenos "fornecedores" para fomentar o desenvolvimento industrial do Estado e práticas de responsabilidade social; fortalecer a Pastoral da Criança através de parcerias; incorporar os ODM às diretrizes do MEC para avaliação institucional; incentivar programas que garantam acesso e permanência dos alunos na escola; prevenir e diagnosticar a doença renal crônica precocemente.

Durante a semana foram realizados encontros com representantes de instituições religiosas, de ensino superior, entidades sociais, secretarias e empresas para incentivá-los a participar da mobilização pela antecipação do cumprimento dos ODM. Na última atividade da Semana, representantes de cada um dos segmentos elegeram as ações prioritárias e se comprometeram a buscar parcerias para colocá-las em ação.

De acordo com a coordenadora do projeto Nós Podemos Paraná, Maria Aparecida Zago, o resultado mais expressivo das atividades foi a mobilização e conscientização dos atores em prol dos Objetivos do Milênio. "Reunimos formadores de opinião e tomadores de decisão de todos os setores. Todos saíram comprometidos a realizar alguma ação relacionada aos Objetivos no próximo ano", afirmou.

Maria Aparecida destaca o envolvimento dos participantes e a preocupação na construção da cidadania e solidariedade, avaliando os ODM e propondo ações. "No encontro com os empresários, por exemplo, surgiu a proposta de organizar pequenos círculos dos ODM para levar aos funcionários das indústrias conhecimento para divulgação do trabalho. Isso demonstra preocupação do empresariado em trabalhar os Objetivos no dia-a-dia da instituição".

Roberto Cavallieri, gerente regional de varejo do Banco do Brasil em Curitiba, avalia que as grandes instituições já estão conscientizadas da importância de investir em projetos relacionados à responsabilidade social e aos ODM. "A mentalidade de que o governo deve tomar conta de tudo está mudando. A integração entre o setor produtivo, o setor público e a comunidade é cada vez mais importante para a transformação social".

O presidente do Sistema Federação das Indústrias do Estado do Paraná (Fiep), Rodrigo Costa da Rocha Loures, também defende uma ação integrada entre os setores para haver mudança de consciência nos negócios e afirma que responsabilidade social é ter atenção e preocupação com aspectos sociais da instituição e sua contribuição com a sociedade. "No Brasil, dois terços das empresas valorizam a responsabilidade social e procuram influir em políticas públicas relacionadas aos Objetivos do Milênio", disse.

As atividades da Semana foram coordenadas pelo projeto Nós Podemos Paraná com o apoio de diversos parceiros. O Nós Podemos Paraná é uma proposta do Conselho Paranaense de Cidadania Empresarial, órgão consultivo do Sistema Federação das Indústrias do Estado do Paraná, realizado pelo Sistema Fiep e pelo Observatório Regional Base de Indicadores de Sustentabilidade (Orbis), programa do Instituto Paraná Desenvolvimento (IPD). Quatro mil pessoas participaram da primeira etapa do projeto, com encontros realizados em todo o Estado. Lideranças de todas as regiões integram a rede voluntária para ajudar o Paraná a cumprir os Objetivos do Milênio até 2010, cinco anos antes do prazo previsto pela ONU.

Cartão telefônico – Durante Semana pela Cidadania e Solidariedade, a empresa Brasil Telecom lançou o cartão telefônico dos 8 Jeitos de Mudar o Mundo – Nós Podemos Paraná. Serão comercializados 350 mil cartões em todo o Estado. Estatísticas da Brasil Telecom apontam que o cartão permanece com o usuário cerca de 25 dias, o que gera em média 15 visualizações. Isso significa mais de 5 milhões de contatos com a população do Estado.