Porto de Paranguá contribuiu para
fortalecer as exportações do Paraná.

As exportações paranaenses atingiram US$ 933 milhões em agosto. É o segundo melhor resultado das vendas internacionais do Estado no ano. Os dados da balança comercial estadual foram divulgados nesta quarta-feira pela Federação das Indústrias do Estado do Paraná (Fiep) e pela Secretaria da Indústria, Comércio e Assuntos do Mercosul, com base nos números da Secretaria de Comércio Exterior do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio.

Com o bom desempenho do mês de agosto, o Paraná se manteve pelo terceiro mês consecutivo na segunda colocação no ranking brasileiro de Estados exportadores, atingindo a marca de US$ 6,54 bilhões, superando o Rio Grande do Sul (US$ 6,43 bilhões) e Minas Gerais (US$ 6,22 bilhões). O primeiro colocado é São Paulo, com vendas de US$ 19,73 bilhões. “É uma prova de que o Paraná se firmou como um dos Estados mais competitivos do país”, avalia o governador Roberto Requião.

Para o presidente da Fiep, Rodrigo Rocha Loures, o crescimento nas exportações do Paraná contribui para o superávit brasileiro. “Em 2004, o Estado respondeu por 18% do saldo nacional, alcançando a marca de US$ 3,96 bilhões dos US$ 20,78 bilhões acumulados pelo Brasil até agosto”, informa .

Os dados mostram que também está havendo evolução nas importações paranaenses. No mês de agosto, as compras internacionais chegaram a US$ 388,5 milhões, uma elevação de 34,4% na comparação com o mesmo mês de 2003. “Com o esgotamento da capacidade instalada de produção em alguns setores industriais, as empresas estão se socorrendo no mercado externo”, avalia Rocha Loures.

Neste ano, as importações atingiram US$ 2,583 bilhões, contra US$ 2,205 bilhões no mesmo período do ano passado. Entre os produtos que registraram grande crescimento estão os insumos para as indústrias de transportes, como motores diesel/semidiesel (alta de 8.806%), agronegócio (alta de 260% de componentes para adubos) e eletrônico (somente entre os circuitos eletrônicos houve crescimento de 428%), além de importação de óleo diesel, que cresceu 486%.

Vendas internacionais

Durante o mês de agosto, houve aumento no volume de mercadorias industrializadas. Entre os destaques está a ampliação das vendas de bombas injetoras para veículos (121,3%), de máquinas de colheita (195%), de automóveis a diesel (207%), blocos de cilindro e cabeçote de motores (443%), de painéis de MDF (531%), margarina (851%) e de circuito de telefonia (852%). A maior alta entre os produtos básicos foi o milho, com crescimento de 134%, gerando US$ 377,3 milhões no acumulado do ano.

China

Até agosto, a China manteve a primeira posição como parceiro do Paraná, superando os Estados Unidos. Os chineses compraram US$ 934,5 milhões em produtos paranaenses, enquanto os Estados Unidos ficaram com US$ 820,3 bilhões. Os embarques para a China aumentaram 55% de janeiro a agosto, em comparação com o mesmo período de 2003. As vendas para os Estados Unidos cresceram 22,93% no período.

Também cresceram as vendas para a Argentina, com alta de 106,63%. Em 2003, o Paraná vendeu US$ 191,1 milhões para o mercado argentino e, em 2004, as exportações para o país vizinho chegam a US$ 394,8 milhões. Os principais produtos embarcados foram automóveis, autopeças, máquinas e equipamentos e instrumentos elétricos